Marketing para farmácias – Parte 1


Que tal aumentar as suas vendas aplicando o marketing estratégico para sua farmácia ou drogaria?

Se você não sabe o que é marketing ou como aplicá-lo em sua farmácia, hoje iniciaremos uma nova série de artigos, falando sobre o tema Marketing para farmácias.

Acompanhe tudo e descubra como aumentar suas vendas e otimizar o lucro de sua farmácia.

Marketing Estratégico

Marketing estratégico é o processo de planejar e executar a concepção, a determinação do preço, a promoção e a distribuição de ideias, bens e serviços para criar trocas que satisfaçam metas individuais ou organizacionais.

São os chamados 4P`s : Produto, Preço, Ponto de Venda e Promoção.

Deve-se trabalhar esses 4 pontos de forma sistemática e complementar, objetivando o resultado eficaz de suas ações.

As ações de marketing devem contemplar processos e técnicas que passam pela escolha de mercados-alvo e da captação, manutenção e fidelização de clientes por meio da criação, da comunicação, da entrega e do reconhecimento de um valor superior pelo cliente.

As técnicas de marketing ajudam as Farmácias e Drogarias a aumentarem o número de clientes e elevar o seu tíquete médio.

Além disso, otimizam o marketing de relacionamento com o objetivo de fidelizar seus consumidores.

Consumidor

O consumidor frequenta diferentes pontos de venda para se abastecer, por isso, é preciso conhecer o seu comportamento para realizar uma comunicação que vai impactá-lo positivamente.

O segmento de Farmácias e Drogarias está altamente competitivo e exige, cada vez mais, a retenção do cliente, que tornou-se mais seletivo e conectado.

Por esse motivo é necessário entender toda essa dinâmica, conhecer o cliente e seu comportamento, suas necessidades, razões da compra, sua escolha e suas decisões para assim realizar uma estratégia direcionada e específica ao público-alvo.

O marketing eficiente implica em tornar a marca conhecida e reconhecida, só assim é possível trilhar o caminho do sucesso e da realização empresarial.

Várias orientações norteiam a atividade Farmácias e Drogarias, como práticas eficazes para potencializar a comercialização de remédios, a aglutinação de produtos para o bem estar, higiene pessoal e cosméticos, atendimento, disposição de produtos nas gôndolas, divulgação, fidelização de clientes e diferenciação no mercado.

Atendimento

As Farmácias e Drogarias utilizam o canal de vendas pessoal, via balcão, como sua principal fonte de captação de recursos e, consequentemente, vendas e lucratividade.

A escolha dos vendedores deve ser criteriosa e seguir parâmetros de questionamentos profissionais (conhecimento dos produtos ofertados) e psicológicos (perfil ideal de vendedor).

Através do atendimento do funcionário do balcão (vendedor) é possível influenciar na compra e produto solicitado, além de agregar outros produtos à demanda inicial buscada.

Cliente

Normalmente quando um cliente entra na farmácia, ele está passando por alguma enfermidade ou problema de saúde, por isso o atendimento do vendedor deve ser simpático, atencioso e otimista em relação ao problema descrito pelo consumidor.

A prescrição médica já indica que medicamento deve ser comprado e por isso, podemos dizer que o vendedor é apenas um tirador de pedido, mas pode-se ainda, por iniciativa do próprio vendedor, sugerir ou informar de artigos de higiene pessoal, de beleza ou de cosméticos que estão disponíveis para também, atender a uma demanda, muitas vezes, não percebidas no momento pelo cliente.

Nessas ocasiões o atendimento pode tornar-se uma ferramenta de relacionamento de confiança com o cliente, tornando a venda um momento de fidelização e conquista permanente do consumidor.

Para isso, é indispensável o total conhecimento do produto ofertado, destacando suas qualidades, propriedades e vantagens.

O vendedor deve ter o conhecimento das necessidades do cliente e como o produto oferecido pode resolver o seu problema.

Vendedor

O vendedor deve aproveitar a oportunidade daquele cliente que entrou na farmácia para tentar descobrir uma necessidade latente, ou até mesmo desconhecida, por produtos que a sua loja possui.

Para motivar a venda de produtos que não necessitam de prescrição médica, o proprietário da farmácia pode criar comissões diferenciadas e mais atrativas para estimular a comercialização destes produtos, diretamente proporcionais às margens de lucro que cada produto concede à sua venda.

O trabalho do vendedor deve ser acompanhado e avaliado sistematicamente, pois o resultado operacional da empresa depende da eficiência comercial.

Deve-se utilizar o feedback sobre a performance do vendedor, sua abordagem, sua oferta de produtos, seu fechamento de negócios e suas atitudes pós-vendas.

Com as rotinas cotidianas de trabalho, normalmente esse acompanhamento passa despercebido e torna-se secundário, mas o acompanhamento, aliado a treinamentos de reciclagem, pode resultar em resultados positivos de excelência mercadológica.

Já falamos em outro artigo sobre a a importância da qualificação de seus funcionários, clique aqui para saber mais.

Próxima semana

Na segunda parte da nossa série de artigos sobre Marketing para farmácias, iremos falar sobre os principais fatores que potencializam o atendimento dos vendedores.

Não percam!

*A Parte 2Parte 3 e Parte 4 já estão no ar, clique para acessá-las.

Fonte: Sebrae

Está difícil transmitir pro SNGPC?

Comece agora a transmitir sua dispensação de medicamentos controlados com mais facilidade, segurança e rapidez através do SNGPC One!

← Post anterior

Post seguinte →

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se e receba mais conteúdo grátis