Aprovadas regras para estudos de terapias celulares

A realização de pesquisas clínicas na área das terapias celular e gênica ganhará impulso no Brasil. Isso porque a Anvisa aprovou a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 260/2018, que estabelece critérios específicos para estudos com produtos de terapias avançadas, métodos que consistem no uso de material genético (genes e células) em diversos tratamentos.

O objetivo do desenvolvimento desses produtos é o fornecimento de terapias de qualidade, seguras e mais eficazes para uma série de doenças como cânceres e doenças hereditárias, genéticas, degenerativas e raras.

A medida trará diversos benefícios porque estimulará o desenvolvimento de pesquisas dessa natureza no país, atraindo o interesse da indústria para a realização de estudos. Além de gerar impacto econômico, resultará em mais produtos sendo testados e aumentará o acesso da população a novas terapias.

A regulamentação abre caminho para que o Brasil receba mais pesquisas nesta área, que hoje representa o que há de mais avançado e sofisticado em termos de desenvolvimento de novos medicamentos e tratamentos.

A RDC 260/2018 estabelece o marco regulatório sobre o tema. A proposta foi aprovada na reunião da Diretoria Colegiada (Dicol) do dia 10/12.

Apresentação na Dicol

De acordo com o voto do diretor-presidente da Anvisa, William Dib, que apresentou a proposta à Dicol, os produtos de terapias avançadas (baseados em células humanas) são uma nova promessa terapêutica em situações clínicas complexas e sem alternativas médicas disponíveis, ao mesmo tempo que representam um desafio regulatório.

Para a Anvisa, o estabelecimento de mecanismos regulatórios eficientes é condição indispensável para o desenvolvimento nacional desses produtos, observadas suas particularidades tecnológicas e produtivas, bem como a necessidade de garantia de acesso seguro e oportuno às terapias.

A nova resolução complementará a RDC 214/2018 que já dispõe sobre a adoção de boas práticas na utilização de células humanas para uso terapêutico e em pesquisa clínica.

Terceira proposta a caminho

William Dib ressaltou que uma terceira RDC está em fase final de discussão com a Câmara Técnica de Terapias Avançadas (CAT) da Anvisa. Essa RDC tratará dos requisitos para submissão de pedido de registro desses produtos, observando o risco sanitário.

O diretor-presidente também destacou que a proposta apresentada teve como base a RDC 09/2015, que regulamenta a realização de ensaios clínicos com medicamentos. Com isso, haverá a harmonização das práticas relacionadas a produtos de terapias avançadas com aquelas já adotadas para medicamentos.

Confira na íntegra o voto do diretor-presidente da Anvisa, William Dib, sobre a RDC para produtos de terapias avançadas.

Parâmetros internacionais

Outro aspecto importante destacado pelo diretor-presidente é que a nova RDC faz parte do projeto de construção e convergência internacional do marco regulatório de produtos de terapias avançadas no Brasil. Por isso, a proposta foi elaborada de acordo com diretrizes adotadas pelas agências reguladoras norte-americana (Food and Drug Administration – FDA), europeia (European Medicines Agency – EMA) e japonesa (Pharmaceuticals and Medical Devices Agency – PMDA).

Câmara Técnica de Terapias Avançadas

O texto da RDC foi elaborado em conjunto com a CAT, que conta com membros de renome na área de terapias celular e gênica, representando as seguintes instituições: Hospital das Clínicas de Porto Alegre (RS), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Centros de Tecnologia Celular da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Paraná (PR) e do Hospital San Rafael, da Bahia (BA).

A proposta também passou por consulta pública e foi discutida durante um Diálogo Setorial que teve a participação de pesquisadores, indústrias, conselhos profissionais, Ministério da Saúde, Ministério da Ciência e Tecnologia e outras entidades ligadas à realização de ensaios clínicos.

Fonte: Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Precisando de consultoria para sua farmácia?

Precisa de ajuda para se credenciar no Programa Aqui Tem Farmácia Popular ou para se cadastrar na Anvisa? Fale conosco, nós temos opções de consultoria para auxiliá-los nesses processos. Caso precise do software para as vendas do Programa Farmácia Popular ou para as transmissões do SNGPC para Anvisa, nós temos os softwares Farmácia Popular One e SNGPC One! Entre em contato conosco pelo telefone: (14) 3221-7067 ou email: sac@aelian.com.br!

← POST ANTERIOR

PRÓXIMO POST →

Cadastre-se e receba mais conteúdo grátis